These are commentaries from Dave Ross, who is the morning presenter on KIRO FM in Seattle.  These commentaries are also national, running on about 600 radio stations in almost all US markets.  Note that they are all very topical and of the biggest stories of the day.  Note that they are though provoking without being aggressive or heavy in pure opinion, and note that even they they are about serious topics, each manages to be entertaining and clever.

 

FIFA

FIFA

o mais poderoso homem do Futebol, passa incólume mas com os investigadores no encalce. Foram necessários apenas 4 dias para que o todo-poderoso homem do mundo do futebol passasse de um estado de euforia pela derrota, à humilhação da renúncia. Sepp Blatter, chefe do mais importante organismo mundial do futebol intitulado FIFA, decidiu renunciar, apesar de ainda agora ter sido reeleito para o seu 5º mandato. Ou, se é que eu percebo alguma coisa de futebol, ele chamou-se à parte da linha lateral depois de ter feito um golo da vitória. Parte do seu testemunho, feito por um tradutor:

(00:30) «FIFA necessita de uma profunda reestruturação, apesar dos membros da FIFA me darem um novo mandato, reelegendo-me como o presidente, este novo mandato não parece ser apoiado por toda a gente no mundo do futebol».

(00:42) Parece que ele finalmente foi ver o seu e-mail. Ninguém sabe ao certo o que o levou a mudar de atitude. Talvez ele se tenha assustado com as mais recentes investigações. Existe um relatório federal de alegados subornos no valor de 10 milhões de dólares a altos dirigentes do futebol que parecem apontar para o quartel-general da FIFA, apesar de ninguém ter estabelecido uma ligação direta ao Sr. Blatter. Contudo,  Glen Grismer, que dirige o departamento de desporto da universidade de St.John alega que até agora só vimos a ponta do iceberg.

(01:09) ”Provavelmente vamos ter mais informação quando tiverem de ter de levantar a mão direita e prestar juramento em tribunal.” E quanto aos fãs: “Mesmo com a grande quantidade de dinheiro, os tais 10 milhões de dólares que andarão a circular, acho que quando os jogos começam os fãs vibram pela sua equipa, pelo seu país e esquecem o que se anda a passar. Isso não será um assunto que os preocupará.“ Cachecóis levantados ao ar pessoal!!

Nobel Prize Winner: women are distracting in the lab

Nobel On Women

Cientistas a portarem-se mal. Um laureado com o prémio Nobel está em apuros por se ter envolvido num escândalo de política sexual. O britânico biólogo celular Timothy Hunt, num pequeno discurso que deu, considera trabalhar com mulheres no laboratório uma distração bastante grande. Dito assim, até parece ter sido uma frase ligeira. O problema é que foi dito num encontro internacional de Mulheres Jornalistas Científicas.

(00:20) “O que ele disse é que as mulheres devem ser separadas dos homens no laboratório, que quando lhes dão algum parecer as mulheres ficam sempre chorosas.” A jornalista Connie St.Loui encontrava-se na plateia nesse momento e publicou no tweet as palavras do cientista, alertando-o para o facto de dever dizer à BBC que não queria usar essas palavras dessa maneira ofensiva. Mas as mulheres são uma distração!

(00:40) “É verdade que as pessoas apaixonam-se umas pelas outras no laboratório e já houve pessoas no laboratório a apaixonarem-se por mim. E é muito incómodo para a ciência.” E elas também têm tendência para chorar!

(00:50) “E se elas rebentam em lágrimas quer dizer que te vais aguentar e não dizer a verdade absoluta.” Mas é claro que não o poderá ter distraído assim tanto, pois ele até tem conseguido trabalhar com bastantes mulheres, algumas até casadas, e conseguiu, ainda assim, ganhar um prémio Nobel!

(01:04) Mesmo assim, os homens cientistas tomam nota e empurram as mulheres para trabalharem como cientistas. Chamar às mulheres distrações, não é divertido, excepto na “teoria do Big Bang”que é no que se centra grande maioria do guião.

(01:14) “- Acho que todos ficámos muito distraídos desde que as raparigas entraram nas nossas vidas. (Sheldon)

– Admites que a Amy é uma distração? (Howard)

– Mesmo muito. Ouve só isto «Olá espero que tenhas um bom dia», quem é que tem tempo para esta conversa de sexo?” (Sheldon) (diálogo entre Sheldon e Howard, personagens de cientistas da série cómica “A teoria do Big Bang”)

White Person Pretends To Be Black

Pretending to be black

Então quem é que define de que raça é que és? Aparentemente temos andado a discutir as diferenças entre pessoas brancas e pessoas negras, sem clarificar os termos branco e negro, pois agora temos a Rachel Dolezal presidente do organismo NAACP que se identificou como negra e foi eleita pelos representantes que também a consideraram negra (NAACP é a maior e mais antiga organização americana de luta pelos direitos civis – sigla quer dizer Associação Nacional pelo desenvolvimento das pessoas negras). Contudo nas fotografias de infância tiradas pelos seus pais brancos, mostram uma criança loura e branca. E comentadores brancos e negros estão lutando para perceber o que quererá isto dizer. Aqui está Michela Angela Davis que é negra e que escreve para a revista “Essence & Vibe”:

(00:50)“Estamos a olhar para uma pessoa que sofrerá de algum distúrbio racial, algum tipo de transtorno.” Ela esteve na CNN dizendo que a Rachel Dolezal sofre de algum tipo de doença mental. E o que ela está a fazer não tem qualquer contributo para as verdadeiras mulheres negras.

(01:04) “Se ela decide retirar essa erva daninha ela poderá viver a sua vida como uma mulher branca”. Mas Michela Angela Davis é também loura. E quando foi convidada a participar numa conferência o ano passado pela NYU (Universidade de Nova Iorque) ela disse a uma rapariga branca na plateia:

(01:18) “Se eu esticar e alisar o meu cabelo, dá-me 30 minutos para eu ir ali aos bastidores e fazer isso, fico igualzinha a ti!” E ela disse que nessa altura o seu objetivo era ir além dos conflitos que existem por diferentes tons de pele.

(01:30) “Isto é o que a liberdade realmente é, e ainda não sei se estou no caminho certo mas já estou a caminhar nesse sentido, é de sermos nós próprios a nos definirmos e nós é que decidimos sermos o que quisermos completamente com ou sem aprovação.” O que parece exatamente com o que a Rachel Dolezal está a fazer!